Bolsonaro inaugura trecho de 22 km de duplicação da BR-101 na Bahia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a Salvador na manhã desta segunda-feira (26), onde seguiu para Feira de Santana, para entregar um trecho de 22 km da duplicação da BR-101 entre a Bahia e Sergipe. Essa é a segunda visita do presidente à Bahia neste ano e a nona desde que foi eleito.

O avião presidencial pousou no aeroporto da capital baiana por volta das 10h. De lá, ele seguiu de helicóptero para Conceição do Jacuípe. Em seguida, foi de carro até Feira de Santana, onde chegou por volta das 11h.

No caminho entre as duas cidades, o presidente passeou de carro com a porta aberta e parte do corpo do lado de fora do veículo.

A ação é uma infração de trânsito grave, prevista no artigo 235 do Código de Trânsito Brasileiro, que prevê multa e retenção de veículo para a condução de pessoas, animais ou carga nas partes externas do automóvel.

Em Conceição do Jacuípe e Feira de Santana, Bolsonaro apareceu sem máscara máscara, contrariando o decreto estadual que determina o uso obrigatório. O presidente não falou com a imprensa, mas cumprimentou apoiadores nos locais.

Bolsonaro estava acompanhado dos ministros de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e Cidadania, João Roma, que colocaram as máscaras antes de subir no palanque. Durante as falas ao microfone, no entanto, ambos ministros tiraram a proteção.

Na subida do palco para começar o evento de entrega, o presidente colocou uma máscara. Na hora de sua fala, ele voltou a tirar o acessório.

O trecho entregue pelo presidente é de 22 km e faz parte da duplicação da rodovia federal. A BR-101 é uma das principais do país e é considerada translitorânea por cortar quase todo o litoral leste brasileiro.

Ao todo, o Ministério dos Transportes prevê a duplicação e revitalização de mais de 649 km de rodovia. Essa adequação é executada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Só na Bahia, o projeto prevê a duplicação de 169,2 km de rodovia.

A BR-101 é rota de escoamento da agroindústria canavieira e indústrias em geral, além do turismo intrarregional e nacional.

G1