PIX soma R$ 1 trilhão em transferências bancárias no Brasil

Completando um semestre, o sistema de transferências instantâneas PIX divulgou dados sobre a plataforma. De acordo com o Banco Central, o novo método de transações já movimentou mais de R$ 1 trilhão e, hoje, já representa 51% em transferências bancárias. Os outros 49% são referentes às operações por boletos bancários, cheques, TED e DOC.

Essa é a primeira vez que a nova forma de pagamento é a mais utilizada pelos brasileiros e, apesar de esses números serem surpreendentes para os técnicos do Banco Central, a expectativa é que ainda cresça mais ao longo dos próximos meses, conforme mais recursos — como o PIX Saque e o PIX Troco — chegam à plataforma.

O PIX Troco, por exemplo, permitirá que o usuário receba uma quantia em moeda após realizar um pagamento por PIX, enquanto o PIX Saque possibilita, como seu nome sugere, o saque de dinheiro em espécie.

​Para contextualizar, no primeiro mês de operação, o PIX movimentou R$ 33,5 milhões em operações. Já no mês de abril, esse número saltou para R$ 499,8 milhões. Confira os valores de cada mês, com base nos dados do BC:

Novembro de 2020 — R$ 33,5 milhões

Dezembro de 2020 — R$ 114,6 milhões

Janeiro de 2021 — R$ 200,4 milhões

Fevereiro de 2021 — R$ 275,4 milhões

Março de 2021 — R$ 393,6 milhões

Abril de 2021 — R$ 499,8 milhões

A Tarde